Fogo no céu

Em meio ao caos
Do mundo insano
Galopo um alazão
Que cospe fogo
E tem um par de asas

E como disse o sábio
Poucos sabem das feridas do inferno
Porque senão
O que faríamos dos anjos?

Em que sepultura enterrou o que sente
Em que mundo fez seu cerne
Como chama seu cavalo?

E quantos quilos ele pesa?
Como ele é de pata?
E quando ele bufa
Você consegue sentir o calor?

Eu tenho um demônio em minhas mãos
É selvagem e poderoso
E sempre que o vejo
Solto suas rédeas
E o deixo me levar

E depois de algumas milhas
Ele é manso
E relincha
E bate seu casco no chão quando me vê

E nessa hora
Eu tenho certeza
Ele sabe
Que vamos matar a saudade
E correr
Correr
Até virarmos fogo no céu

E possamos morrer